domingo, 14 de novembro de 2010

E poderás então dizer … “ Hoje eu aprendi!”

(parte 3 de 7)


Animada com a esperança de que esta jovem pudesse participar no encontro “Páscoa Fraterna”, propus-lhe este meio para cuidar a parte espiritual. Também lhe propus que participasse numa formação humana intitulada “ Descobre-te a ti mesmo. Neste processo de acompanhamento, de caminhar ao lado de …”, tive de buscar muitas vezes alimento e luz, para saber por onde ir, como interpretar os sinais, como encaminhar…
« Revesti-vos da armadura de Deus,(…)porque não é contra os seres humanos que temos de lutar,  mas contra os Principados, e Dominadores do mundo das trevas…» EF.6, 10-13
Que me queres dizer com isto Senhor?
O mal não procede das circunstâncias externas, mas do modo como essas situações tocam o interior da pessoa. O inimigo não está fora …mas dentro alojado nos medos e complexos que nos bloqueiam. Pois sim, vejo que me queres confirmar a verdade de que, existem muitos obstáculos a minar o terreno dos afectos… Quanta insegurança e ansiedade? Quantas dúvidas de si mesma? E quantos outros jovens se sentirão assim?
Fomos tomar um café e usufruir de um espaço de conversa.
E.- Vou deixar de tomar medicação, estou farta disto. Quero ser uma pessoa “normal”. Eu sei que há três ou quatro pessoas como tu, dos grupos fraternos, que mostram gostar de mim, mas como pode ser, se eu em relação a mim sinto tanta insegurança?!
-Sabes, as emoções, onde necessitas saber “navegar”, são realidade que ainda precisas aprender a conhecer para enfrentar. Tem que ser um processo gradual, continuado, para cuidar diferentes aspectos da tua personalidade. Mas tu podes conseguir.
E. -Eu quero saber cuidar, saber estar de modo diferente na vida. Preciso de saber tomar decisões. Quero colocar alguns meios.
-Por aí,(com esse modo de pensar) estás a ir bem. Precisas conhecer-te, equipares-te para treinares aspectos positivos, para chegares a ter de ti mesma uma imagem ajustada. Porém, nos primeiros tempos, deixares-te ajudar é sinal de sabedoria, não de fraqueza, sabias?
Ela aceitou as propostas e participou em cada uma, a seu tempo. Na formação humana (pedagogia e psicologia), podia ir sozinha, mas na outra proposta, tive de procurar apoio. Assim, pedi para alguém a acompanhar no momento “Páscoa Fraterna”, mas disseram-me que já não havia disponibilidade para tal... Custou-me aceitar esta realidade. Aí, senti-me pobre, e disse para mim mesma: “Porque sonhas, alma minha? Que mania tens de sonhar alto! Raios!” Depois alguém me dizia:
T- só se fores tu a acompanhar.
Senti receio desta possibilidade. Mas, dentro de mim, uma proposta ecoava: “Procura-Me…agora que me podes encontrar, procura-Me, que estou perto
Então, decidi participar numa eucaristia e acolher a Palavra que me seria dirigida, na busca de saber decidir. E, a dada altura, ecoava no meu interior: «E agora o Senhor declara-me que me formou desde o ventre materno, para ser o seu servo, para lhe reconduzir Jacob »Is.49, 5
Olhando para Maria, mulher da nossa raça, mulher e educadora, dei conta que seria importante conceder-me um tempo e guardei estas palavras uns dias, no meu coração. Passei a sentir nesta palavras a firmeza de uma âncora e orientação de um farol. Era como se eu fosse levada para uma aventura em alto mar! Deixei-me estar a saboreá-las uns dias…
Mas, com receio de que a minha vontade não chegasse para entender a Vontade do Mestre do Amor, dias depois fui participar noutro momento de enriquecimento interior. Necessitava reencontrar a linha condutora para depois agir. Eis, que a dado momento escutei: ««não basta que sejas meu servo, (…)vou fazer de ti luz das nações para que a minha salvação chegue aos confins da terra.»Is.49, 6

Foi então que decidi acompanhar a Elisha, nesse fim semana, para que ela se pudesse encontrar com Aquele que é Fonte do Amor, da Confiança e da Paz.
Foi também um outro jovem de um dos grupos a esse encontro. Foi muito rico, permitindo-nos uma possibilidade de crescimento interior.
A mim, fez-me experimentar a Mão de quem me guiava, e fez-me dar conta do quanto já tinha eu recebido em momentos destes, naquelas pessoas que me apoiaram na busca de caminhos interiores. Saboreei a alegria de ver alguém reencontrar-se na sua história, história com valor, com possibilidade de descoberta de “tesouros escondidos”.
No final deste tempo de paragem -“Páscoa Fraterna”-Elisha escrevia:
“Agora eu percebi quem esteve diante da minha Cruz, em tantos momentos, sem nunca me abandonar. Agora eu pude reconhecer Quem esteve com esperança, diante dos túmulos de sobrevivência por onde andei. Pude distinguir quem me enviou para me ajudar: «Entrego por ti, pessoas, ….porque és preciosa aos meus olhos.»Is.43,4   para ainda hoje estar aqui.
Quanto a mim, que gratidão levo dentro, nem consigo explicar, mas posso dizer: “Quero ir por aqui, para mais descobertas de vida!”
De regresso a casa partilhávamos:
- Sabes, Elisha, agora eu aprendi que viver é uma aventura diária, na qual não sei o que vai acontecer, quem surge no meu caminho, mas preciso redescobrir a segurança de ser acompanhada, pelo Mestre da Vida, nas circunstâncias que me vão envolver. Que poderás tu dizer, após estes dois dias de exercícios espirituais que constituíram uma paragem na tua vida?
E.-A paz recebida faz-me mais leve por dentro e a alegria é um fruto saboroso que levo. Aprendi que preciso de muito alimento para cuidar as minhas feridas devidas à falta de reconciliação com o meu passado.
 -Essa alegria mais profunda, quer abraçar todo o teu ser, mais vezes (e de cada pessoa que dê a si mesma estas oportunidades).

3 comentários:

  1. De fácil leitura e de seguir... muito bom para alimentar a esperança e tirar os olhos dos nossos umbigos!!
    Um beijão e não pares! ;)

    ResponderEliminar
  2. É delicioso ler-te!
    Ver como a tua vida e presença marca as nossas vidas...
    Momentos de fraqueza e de hesitação é normal todos termos, mas que bom é poder encontrar as respostas Naquele que nos ama!
    Obrigada!

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  3. Estou estupefacta.
    Tenho mto orgulho em ti, do que fazes com a tua vida, a forma como deixas que Ele seja o teu conselheiro e companheiro de viagem e da forma como transformas tantas vidas. Afinal és apenas um ser humano, mas um ser humano q confia e entrega incondicionalmente.
    É um privilégio poder ter-te na minha vida.

    Vou continuar a ler com cuidado, vou tentar perceber melhor a profundidade desta vossa história e o q pode significar para mim tb para crescer melhor.

    um bejinho tenho-vos no coração:)

    graciete

    ResponderEliminar